Em 2001, um bar em Taboão da Serra abrigou um grupo de poetas sem espaço para declamar seus versos. Assim nasceu o sarau da Cooperifa, que logo depois se mudou para o Bar do Zé Batidão, na Chácara Santana (zona Sul de São Paulo).

Agora, ao completar 18 anos de caminhada com o mesmo entusiasmo de adolescentes que descobrem o livro pela primeira vez, o grupo celebra a literatura que chegou primeiro pela oralidade, da palavra simples que brota das vozes de homens e mulheres que não se cansam de buscar a felicidade.

“Se a palavra liberta, então somos livres”, diz o enunciado que convoca para a 12ª Mostra Cultural da Cooperifa. Com shows, oficinas, debates em centros culturais e escolas públicas, o evento começa neste sábado (19/10) e segue até o próximo domingo (27/10) com programação de Embu das Artes ao Jardim São Luís.

A programação completa está no site da Cooperifa. Clique aqui pra conferir.

Confira os destaques abaixo:

Sábado (19/10)

No Sesc Campo Limpo – R. Nossa Sra. do Bom Conselho, 120 – Campo Limpo

Solange Amorim, à frente com o estandarte
  • 17h – Debate “Educação: do território de exceção ao território de direitos”. Com Solange Amorim (Educadora periférica, formada em letras e pedagogia, atua há 30anos na escola pública e compõe um grupo de estudos denominado Territorialidades, que articula mais de 30 escolas na discussão do direito à territorialização do currículo escolar); Valesca Mota (professora da rede municipal, coordena a Rede Ubuntu de educação popular e integra a Coalização Negra por Direitos); com mediação de Douglas Belchior (professora, fundador do movimento Uneafro-Brasil, membro da Frente Parlamentar Mista de Defesa da Democracia e dos Direitos Humanos e Articulador da Coalizão Negra por Direitos).
  • 20h – Show de Maria Gadú

Domingo (20/10)

A partir das 09h – Festival Várzea Poética – no Campo do Sabão – Rua Sebastião Muniz de Souza, 2 – Parque Santo Antônio

Na Fábrica de Cultura do Jardim São Luís – R. Antônio Ramos Rosa, 651 – Jardim São Luís

(Foto: participantes da oficina de jornalismo)
Jerá Guarani fala da necessidade de se construir uma Casa de Liderança. (Foto: participantes da oficina de jornalismo)
  • 15h – Exposição: “Novembro – Uma Alforria do Olhar”, com obrasinéditas de Puga Menezes em argila, pinturas de acrílica sobre tela, arte vetorial e colagens; e exposição “Bikes Antigas”, com Magrelas Bike Club, que usa as bicicletas como forma de expressão cultural
  • 16h – Debate: “Mulher, Poesia e Sarau” – com Cristina Adelina (Mãe, atriz, professora de história, fundadora do Slam da Guilhermina); Viviane Salles (produtora cultural, antropóloga e fundadora do Poesia de Esquina na Cidade de Deus – RJ); mediação de Lu Sousa (professora e integrante do Sarau da Cooperifa)
  • 18h – Debate: “Cultura e Resistência” – com Jera Guarani (liderança indígena da Terra Indígena Tenonde Porã); Dinho Nascimento (Ativista das causas culturais e ambientais); e mediação de José Soró (educador e Consultor em Gestão de Conhecimentos e Desenvolvimento Humano).
  • 20h – Espetáculo: “O Vento”, com Cia Solas de Vento, que discute futuros e presentes possíveis, potências e impotência.

Segunda (21/10)

No Bar do Zé Batidão – R. Bartolomeu dos Santos, 797 – Jardim Guaruja

  • 20h – Mostra de Cinema com Renato Cândido, cineasta nascido e criado na Vila Nova Cachorrinha, exibe os filmes Dara (uma menina preocupada com a sua repentina mudança para São Paulo), Jennifer (adolescente da pele clara e de traços negros que vive seus medos e inseguranças em relação a si própria e ao seu futuro) e Simone (jovem de vinte e poucos anos que já é consciente de sua negritude e que passa a questionar a sociedade a partir da subjetividade de seu relacionamento afetivo)

Terça (22/10)

No Bar do Zé Batidão – R. Bartolomeu dos Santos, 797 – Jardim Guaruja

  • 20h – O tradicional Sarau Cooperifa celebra seus 18 anos – com lançamento do livro: “Pra não dizer que não falei das ruas”, do Rapper e Poeta Cocão Avoz.

Quarta (23/10)

No Sesc Campo Limpo – R. Nossa Sra. do Bom Conselho, 120 – Campo Limpo

  • 15h – Sarau: “Vopo”, com o Grupo Vozes Poéticas – coletivo cultural fundado na EMEF Paulo Carneiro Thomaz Alves, em 2014, por estudantes que residem no Parque Vila Maria e integram um projeto de difusão de cultura latino-americana.
  • 19h30 – Palestra: “Diálogos sobre Feminismo Negro” – com Djamila Ribeiro, que traz a perspectiva histórica e estrutural de desigualdades postas na sociedade brasileira, refletindo a partir do feminismo negro sobre novos marcos de humanidade com pluralidade de pensamento, em desafio ao regime de autorização discursiva que fixou um grupo social como o único detentor do saber e da fala.

Quinta (24/10)

No Sesc Campo Limpo – R. Nossa Sra. do Bom Conselho, 120 – Campo Limpo

Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)
Poeta Sérgio Vaz na abertura da Mostra Cultural da Cooperifa de 2013. (Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)
  • 19h30 – Bate – Papo: “Encontros Poéticos – Literatura, Música e Leitura de Poemas”, com Sergio Vaz (poeta e agitador cultural, co-fundador do Sarau da Cooperifa); Débora Garcia (Artista da palavra, idealizadora e artista do coletivo Sarau das Pretas); Lirinha (Músico, escritor e compositor do Cordel do Fogo Encantado).

Sexta (25/10)

Na Fábrica de Cultura Jd. São Luís – R. Antônio Ramos Rosa, 651 – Jardim São Luís

  • 20h – “Encontro Rap”, com Intervenção com Dj Zeca; shows de D’Grand’Stilo; e Shirley Casa Verde e Yzalú; lançamento do CD “Até quando eu quiser, até quando eu puder”, de Jairo Periafricania.

Sábado (26/10)

Na Fábrica de Cultura Jd. São Luís – R. Antônio Ramos Rosa, 651 – Jardim São Luís

  • 15h – Debate: “Quilombo Literário na Encruzilhada” – com Cuti (Graduado em Letras pela Universidade de São Paulo em 1980, foi um dos criadores do jornal literário Jornegro e da série de antologias Cadernos Negros); Luciana Moreno (Professora adjunta da Universidade do Estado da Bahia, coordena o Grupo de Estudos Literatura e Periferia); e Hamilton Borges (idealizador e integrante da organização poética “Reaja ou será [email protected]” e atua na Escola Pan-Africanista Winnie Mandela).
  • 17h – Debate: “Literatura: Substantivo Feminino e Cada Vez Mais Negro” – com Cidinha da Silva (editora e escritora, criadora de 15 obras autorais); Geni Guimarães (escritora e professora, tem 09 livros autorais); e Bianca Santana (jornalista e escritora, tem colaborado na articulação da Coalizão Negra Por Direitos).
  • 19h – Encontro dos Saraus Perifatividade, do Binho, Verso em Versos, da Brasa, Kintal, Elo da Corrente e da Cooperifa
  • 20h – Show: Pastoras do Rosário em “Libertador” – Mulheres negras que surgem do chão sagrado da Igreja N.Sra do Rosário, sustentam suas raízes, trazem a história de resistência africana.

Domingo (27/10) – SHOW DE ENCERRAMENTO

Na Fábrica de Cultura Jd. São Luís – R. Antônio Ramos Rosa, 651 – Jardim São Luís

A partir das 15h00Intervenção com Dj Erick Jay e shows da Banda Veja Luz, Ilú Obá de Min, Cocão AVoz, Leci Brandão e Edi Rock

Foto: Paula Lopes Menezes
Entrevista exclusiva com Edi Rock, do Racionais MCs, durante a Mostra Cultural da Cooperifa (Foto: Paula Lopes Menezes)

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: