“Se o cotidiano de quem mora na quebrada já é mil fita, em um momento como esse tudo tende a piorar”.

Assim começa o texto de convocação para um ato de coletivos e organizações do distrito do Jardim São Luís (Zona Sul de São Paulo) marcado para esta quarta-feira (24 de outubro), a partir das 18h30, com concentração com uma roda de capoeira. A proposta é sair em cortejo pelas ruas do Jardim Ibirapuera com o Maracatu Baque Atitude, a bateria do Bloco do Beco e o Quilombo Cultural Ybirasamba para dialogar com os moradores da quebrada.

Além dos coletivos mencionados acima, também organizam o ato o Coletivo Katu, Cine Campana, Maloka Socialista e Periferia Segue Sangrando.

“Em crises como a atual, o fascismo desponta como solução, mas não temos amnésia histórica e sabemos bem o que ele representa na figura de Bolsonaro: menos direitos e mais mortes para os mais pobres e oprimidos”, completam os organizadores.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: