Artistas do Grajaú resistem pela vida e contra Bolsonaro No sábado (27/10), cortejo artístico percorre ruas do distrito mais populoso de São Paulo e termina às margens da Billings

Na véspera do segundo turno das eleições deste ano (sábado, 27 de outubro), coletivos, artistas e movimentos do Grajaú e de outros cantos da cidade saem em cortejo artístico pelas ruas do distrito mais populoso de São Paulo para dialogar com a população e partilhar amor. O ato puxado pela Cia Teatral Enchendo Laje e Soltando Pipa não tem vínculo a partido político, mas é eticamente contrário ao candidato a Presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A concentração ocorre às 14h, na praça do Xerife (atrás do Circo Escola Grajaú). O cortejo sai em caminhada às 16h até a caixa d’água do BNH, segue até a rotatória do Jardim Eliana e se encerra no Parque Linear do Lago Azul, às margens da represa Billings.

Um manifesto, que lembra Marielle Franco, Moa do Katendê e todas e todos vítimas da violência do Estado, foi lançado para apontar as motivações desse ato. O Periferia em Movimento assina o texto.

Confira abaixo:

“O Grajaú existe, o Grajaú resiste. Somos gente que trabalha, que educa, que constroi e que cuida.

Somos artistas, educadoras, educadores, mães, pais, filhas e filhos.

Somos negras, negros
Indígenas, multicor
Nos quiseram Miscigenados
E borraram nossa cor

Somos pobres, trabalhadores, somos de luta!

Somos do axé, somos gente de fé, ateias e ateus, crentes em Deus, em Jesus de Nazaré e nos orixás do candomblé.

Somos as mulheres, as travestis, homens, jovens, as diversas, querendo apenas existir.

Nesse momento em que o ódio se inflama, derramaremos amor.

Contra os gritos fascistas, entoaremos um canto de esperança.

Ao nosso lado os estalos serão das palmas e as batidas de tambor.

Somos gente que não dúvida que, diante de quem clama por morte, precisamos louvar a vida.

Por Agatha e todas.
Por Marielle e todas.
Por Moa do Katendê , capoerista assassinado nesse ódio danado.
Por Dona Maria que sai para trabalhar todo dia.
Por seu Zé, seu Joaquim, Dona Lia.

Convidamos a quem queira dizer não à violência e sim à vida a se unir a nós. Caminharemos Grajaú a dentro para emanar amor.

Somos:
Alessa Melo
Denise Alves
Dan Silva
Cia. Teatral Enchendo Laje & Soltando Pipa
Teatro de Rocokóz
Núcleo Pele
Periferia em Movimento
Coletivo lobas
Churras das histéricas
Carmem Soares
Mariana Salomão
Fábio Monte
Sarau sobrenome liberdade
Sabrina Freitas de Moraes
Michele Santos
Cia Diversidança
Pedro Henrique Carreiro de Assis
Maria Eduarda figueroa
Projeto raiz
A bordar espaço terapêutico
Alba Brito
Valéria Ribeiro
Rafael Edgar

Apoiadores de outros territórios:

Ana Sharp
Núcleo Macabéa
Rudinei Borges
Vanessa Correa ,
Trupe Borboletras
Kiwi Companhia de teatro”