Pense rápido: o que é notícia sobre as periferias? E quem conta essas histórias?

Para fortalecer a atuação no jornalismo de quebrada, a Periferia em Movimento lança nesta terça-feira (07/05) uma campanha de assinaturas para financiamento recorrente de suas atividades.

Apoiadores e apoiadoras podem contribuir com valores a partir de R$ 5 por mês, com desconto direto na fatura do cartão de crédito ou por boleto bancário. Para colaborar, basta acessar a plataforma www.catarse.me/PEM, cadastrar-se ou fazer o login com os dados da conta no Facebook, escolher uma faixa de apoio e fazer o pagamento.

Com as contribuições mensais, a Periferia em Movimento pretende fortalecer a atuação e aumentar o impacto nas quebradas com o pagamento de aluguel e manutenção da sede no Grajaú (Extremo Sul de São Paulo), produção de reportagens exclusivas, vivências jornalísticas para educadores e pagamento da equipe de reportagem.

Por que estamos aqui e aonde queremos chegar?

Historicamente, as periferias urbanas são mal representadas pela mídia em geral. De um lado, o estereótipo racista da “violência”. Do outro, a romantização do sofrimento com as “histórias de superação”.

No meio disso tudo, mais de 8 milhões de pessoas vivem nas periferias de São Paulo e mais de 60 milhões em todo o Brasil. São milhões de histórias que não aparecem nos noticiários da TV, nos portais de notícia, nos jornais ou revistas, nem nas fakenews do Whatsapp.

“A mídia nos invisibiliza e desumaniza – e, assim, contribui para que os direitos de moradoras e moradores de periferias continuem sendo violados no dia a dia. Por isso, precisamos radicalizar na humanização”, dizem integrantes da Periferia em Movimento.

Como não existe política pública para a comunicação popular no Brasil, atualmente a Periferia em Movimento se mantém com prestação de alguns serviços para organizações do terceiro setor e editais, mas não consegue garantir o mínimo de estabilidade para a equipe.

Sobre a Periferia em Movimento

A Periferia em Movimento é uma produtora de Jornalismo de Quebrada que gera e distribui informação dos extremos ao centro em diferentes formatos (textos, fotos, vídeos, mapas, stopmotions, gifs e memes) em várias plataformas (em nosso site, no facebook, instagram, twitter, youtube, além de parcerias com outras mídias).

Fundada em 2009 por jovens jornalistas que moram em periferias do Extremo Sul de São Paulo, a gente tem como missão fazer um jornalismo sobre, para e a partir das periferias, em nossa complexidade, para ocupar espaços que sempre nos negaram e garantir o acesso a direitos. Saiba mais aqui!

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

× Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: