Foto em destaque: Feira Nois por Nois / Periferia em Movimento

Na falta dos encontros presenciais por conta da pandemia, nossa realidade mediada por meio das telas do celular ou do notebook é bombardeada de informações.

Para não deixar passar o que é relevante, a Periferia em Movimento indica a você 5 oportunidades de cursos e editais que têm o objetivo de fortalecer pequenos negócios periféricos até disseminar o conhecimento em áreas específicas, como o mundo científico ou a poesia rimada.

Confira abaixo como participar!

1. Curso de Poesia Rimada

Como parte do projeto Velhas Rimas Novas, que tem o objetivo de fomentar a leitura e a prática da poesia rimada brasileira, o artista Antonio Nóbrega promove uma edição gratuita do seu já tradicional curso Na Rima, oferecido na programação regular do Instituto Brincante. A atividade foi contemplada pelo PROAC (Programa de Ação Cultural), política pública gerida pelo Governo do Estado de São Paulo.

Antonio Nóbrega (foto: Silvia Machado)

As inscrições para a atividade seguem abertas até sexta-feira(14/5), pela internet. Clique aqui. O resultado será publicado no site do artista em 21 de maio. São apenas 25 vagas, com prioridade para professores da rede pública e jovens artistas.

Em 10 aulas semanais pelo zoom, Nóbrega e participantes vão trabalhar a escrita e o improviso de versos da poesia rimada. Com este projeto, que traz ainda três palestras e um podcast, abertos e gratuitos, Nóbrega quer dar maior conhecimento e visibilidade a essas estruturas e formas, seja incentivando a sua prática lúdica nas atividades educativas, seja difundindo-as entre os artistas da palavra do país.

2. Fundo Enfrente

A Fundação Tide Setúbal e a plataforma Benfeitoria lançam a segunda edição do Matchfunding Enfrente, o maior programa de financiamento coletivo das periferias brasileiras. Em 2020, foram mais de R$ 8 milhões mobilizados para ações emergenciais e projetos estruturantes de periferias de todo o Brasil durante a pandemia.

Agora, o edital convoca iniciativas emergenciais para recuperação de micro e pequenos negócios das periferias afetados pela pandemia. Valem iniciativas que sejam lideradas por empreendedores que tenham nascido ou vivido em contextos periféricos urbanos brasileiros.

Serão R$ 1,5 milhão destinados para a geração de trabalho e renda. Ao todo, 150 negócios com metas de até R$ 15 mil serão apoiados nesta edição. Com o suporte da Benfeitoria, as iniciativas selecionadas construirão campanhas de financiamento coletivo, onde as arrecadações serão triplicadas pelo Fundo Enfrente.

Para saber mais, acesse aqui. Na quinta-feira (13/5), às 15h, o Canal Enfrente no Youtube faz uma live para triar dúvidas.

3. De Preta pra Preta

Bárbara Terra, da Rede Nóis por Nóis (Foto: Divulgação)

A Rede Nóis Por Nóis, que articula e desenvolve negócios periféricos, iniciou um mapeamento de microempreendedoras pretas e indígenas em periferias da zona Sul de São Paulo. O objetivo é entender melhor sobre a realidade e as necessidades dessas mulheres para conseguir apoiá-las da melhor forma por meio da rede e da loja colaborativa.

A partir desse mapeamento, a rede vai identificar e selecionar alguns negócios para receber consultoria com uso de ferramentas necessárias para desenvolver as iniciativas. Podem participar mulheres empreendedoras com 16 anos de idade ou mais, que tenham uma ideia de negócio ou quer desenvolver o que já faz; deseja fazer parte da rede oferecendo alguma habilidade ou serviço de apoio; ou que tem a vontade de ser mentora para empreendedoras.

O formulário segue aberto até 15 de junho de 2021. Preencha aqui.

4. Negócios na alimentação

O projeto Periferia Sustentável Arrastart chega à quarta turma com objetivo de fortalecer pequenos negócios nas periferias de São Paulo. A iniciativa é uma parceria do Projeto Arrastão com o Instituto GPA e o Assaí Atacadista com objetivo de melhor processos na cozinha e na administração.

O curso visa pré-acelerar esses empreendimentos por meio de uma jornada de 5 meses, em que eles procuram soluções inovadoras para problemas relacionados à alimentação nas periferias e, dessa forma, criam novos produtos voltados para impacto social.

Podem participar jovens e adultos a partir de 18 anos que têm alguma iniciativa em gastronomia. O curso acontece entre junho e novembro de 2021, sempre às quartas-feiras, parcialmente remoto e presencial (o espaço fica localizado no Campo Limpo, zona Sul de São Paulo).

Inscreva-se aqui.

5. Meninas na ciência

O Projeto Astrominas da USP chega à segunda edição com inscrições abertas para meninas que desejam mergulhar na ciência. A iniciativa é voltada exclusivamente para meninas cis e trans com 14 a 17 anos de idade.

Ao longo de 3 semanas, entre junho e julho, elas vão participar de experimentos, elaboração de murais, rodas de conversa, debates sobre universidade e ainda palestras de Astronomia, Geofísica, Ciências Atmosféricas, Oceanografia, Matemática, Física, Geociência e Química.

Tudo com a supervisão de um time de alunas, pesquisadoras e professoras da USP. As atividades gratuitas serão totalmente on-line, de segunda a sexta-feira, e com duração média de 3 horas por dia.

Para se inscrever, é necessário preencher este formulário até 7 de junho. Clique aqui. São 600 vagas, com reserva de pelo menos 20% para estudantes pretas, pardas ou indígenas, 60% para alunas de escolas públicas e 20% de escolas privadas.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ALERTA! Coronavírus e as quebradas

Confira nossa cobertura

Apoie nossa cobertura jornalística

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: