Com presenças de Haddad e Edi Rock, Cooperifa encerra 6ª Mostra Cultural

Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

“Nunca fui a um sarau, mas já sabia o que era. A Cooperifa é famosa”, declarou Fernando Haddad, em entrevista exclusiva ao Periferia em Movimento.

Exclusivo: Na Cooperifa, Haddad reconhece necessidade de apoiar cultura periférica

(Foto: Paula Lopes Menezes)

“Nosso objetivo é reservar 2% do orçamento da prefeitura para a cultura, que é uma pauta antiga”, disse Haddad, durante Mostra Cultural da Cooperifa.

Bailarinas da ONG Capão Cidadão se apresentam para público infantil

(Foto: Aline Rodrigues / Periferia em Movimento)

A ONG Capão Cidadão foi fundada em 2004 e, desde a criação, depende de doações, eventos e bazar para manter suas atividades.

No Grajaú, PM reprime manifestação por transporte com truculência; veja fotos

Com apoio do Movimento Passe Livre (MPL), o protesto foi organizado por movimentos sociais da região. Sete crianças e 22 adultos foram retidos por mais de dez horas.

Para preservar cultura, guaranis promovem feira de artesanato e ocupam território em Parelheiros

(Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)

Indígenas promoveram uma feira de artesanatos, além de desfile e coral das crianças em meio à tensão vivida devido a uma nova ocupação pela comunidade.

“A periferia tem arcabouço cultural para compartilhar”, diz Sérgio Vaz

Foto: Aldo Augusto

Sergio Vaz, Marcelino Freire e Julio Ludemir debatem sobre produção literária da periferia na Mostra Cultural da Cooperifa.

Cooperifa celebra 12 anos de resistência poética nas periferia paulistana

Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Casa cheia na abertura de mais uma Mostra Cultural da Cooperifa. “É tudo nosso!”

Jovem negro tem 3,7 mais chances de ser assassinado do que branco

60 mil pessoas são assassinadas por ano no Brasil e há um forte viés étnico nessas mortes, segundo o Ipea: afinal, o negro é discriminado pela condição social e pela cor da pele

Movimentos sociais pedem desmilitarização da PM

O que há em comum nas 600 mortos em maio de 2006 na Baixada Santista, 111 presos assassinados em 1992 no Carandiru e o desaparecimento de Amarildo de Souza?

Ao unir graffiti e cartografia, projeto revela a cidade que ninguém vê

(Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)

O que a gente precisa ver? O projeto Cartograffiti consiste em uma série de intervenções em 21 locais estratégicos em um recorte especifico no mapa de São Paulo.