O graffiti, a rua e a estética da miséria

Lenços da Louis Vuitton com estampa grafitada pelos Gêmeos pode significar, para alguns, o triunfo da arte urbana. Para outros, é apropriação.

ZAP, um campeonato onde a poesia é vencedora

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Nesse slam de poesia criado em 2008 pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, quando se grita “1, 2, 3, ZAP!”, é hora de prestigiar os artistas-competidores.

Nas quebradas, a literatura chega de busão

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento

Em toda cidade, 12 ônibus equipados com um acervo de 1.000 livros infanto-juvenis e adultos, além de jornais e revistas, percorrem os extremos paulistanos

Diversidade e força da cultura da quebrada em “Orfeu Mestiço”

Foto: Daniel Pascowitch

Fragmentos, histórias e memórias. Histórias de Orfeu e Eurídice, de Elisabete e Amarildo. Memórias deslocadas do tempo que se tornam histórias anônimas. Obra de arte, denúncia, tentativa que poderia se dizer estéril, não fosse a resistência, não fosse a expressão da inconformidade. Tudo isso na peça que abriu o Encontro Estéticas das Periferias de 2013.

“Desterro”: literatura periférica em quadrinhos

Reprodução/Desterro

Um é autor de “Capão Pecado”, clássico da literatura periférica. O outro é conhecido pelas reportagens publicadas em formato de quadrinhos. Juntos, eles criaram “Desterro”, que traça a dura vida nas quebradas paulistanas em história em quadrinhos. Para falar sobre essa experiência, o escritor Ferréz e o quadrinista Alexandre De Maio estiveram na última sexta (30 de agosto) na Fábrica deContinue lendo “Desterro”: literatura periférica em quadrinhos

Peça de teatro debate o que é sonho ou realidade

Foto: Aline Rodrigues / Periferia em Movimento

“A vida é sonho” foi representada pelo grupo recém-formado Cia Grupo Patépicus, no palco da 21ª Mostra de Teatro Monte Azul

Os caminhos de Adoniran Barbosa viram peça de teatro

Foto: Aline Rodrigues / Periferia em Movimento

Um poeta que declarava o amor pela cidade de São Paulo e criou um estilo próprio de cantar os causos de sua vida e sua relação com a terra da garoa.

Samurais e drama social marcam terceiro dia da Mostra de Teatro Monte Azul

Foto: Joseh Silva

Confira um resumo das peças “Vida e Sonho” e “A Confecção da Queda”

Cine Degrau, um cinema no caminho da população do Jardim Ângela

(Foto: Thiago Borges/Periferia em Movimento)

Com o intuito de se apropriar de um escadão para exibir filmes, o Cine Degrau estreou com boa parte da escadaria ocupada.

Na periferia de São Paulo, pessoas viram bichos e inventam línguas

Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento

Cerca de 20 artistas incorporam o comportamento de diferentes animais na Oficina de Dramatização Corporal, durante a 21ª Mostra de Teatro Monte Azul.