Movimentos debatem fascismo no Brasil racista; e no sábado, novo ato #EleNão Debate de militantes negros acontece nesta quinta (18/10), enquanto dois dias depois mulheres voltam às ruas

Diante da escalada de ódio que se manifesta nesse período eleitoral, nesta quinta-feira (18/10) a rede de cursinhos populares UneAfro, o quilombo urbano Aparelha Luzia e o Núcleo de Consciência Negra da USP promovem o debate “No País da escravidão, de que fascismo estamos falando?”. O encontro acontece a partir das 19h, no Teatro Oficina (Rua Jaceguai, 520 – Bairro do Bixiga – Centro de São Paulo). Saiba mais aqui.

A proposta é apontar o que caracteriza essa ascensão em um território com quase 400 anos de escravidão, como derrotar o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) nas urnas e dar continuidade ao projeto político do povo negro.

Participam do encontro a cantora Xênia França, o professor Douglas Belchior (da UneAfro), Maria José Menezes (do Núcleo de Consciência Negra na USP), e das deputadas estaduais eleitas Leci Brandão (do PC do B-SP), Erica Malunguinho (do PSOL-SP) e Andreia de Jesus (do movimento Muitas, pelo PSOL-MG).

De volta às ruas

No sábado (20/10), a concentração acontece a partir das 15h no entorno do MASP (Avenida Paulista – Centro de São Paulo). Nesse dia, acontece mais um ato #EleNão, puxado por mulheres que constituíram o protesto histórico de 29 de setembro, além de 38 organizações. Saiba mais aqui.