Grajaú na Construção da Paz

O Periferia em Movimento nasce em 2009 como fruto do trabalho de conclusão de curso de estudantes de Jornalismo da Universidade de Santo Amaro (Unisa) que retratou um movimento social periférico por meio do documentário abaixo.

Incomodados com o estereótipo de pobreza e violência que marca as periferias, em especial por influência da mídia, escolhemos mostrar a iniciativa de um grupo de jovens liderado por um missionário italiano no Grajaú – distrito mais populoso de São Paulo.

Com aproximadamente meio milhão de habitantes espalhados por 92 quilômetros quadrados, o Grajaú fica distante a 26km do marco zero da cidade. O Extremo Sul, onde fica o distrito, equivale a 1/3 da área total da cidade, com superfície de 487,8 quilômetros quadrados.

A região começou a ser povoada na década de 196, com a chegada da família Reimberg, que comprou 40 alqueires de terra anteriormente sob a propriedade do doutor Olavo Guimarães Sobrinho. Foi o maior loteamento implementado até então na cidade de São Paulo.

A porcentagem de crescimento populacional anual do distrito é de 5,04%, uma das mais altas do município. Mulheres (51,06% ) e jovens até 29 anos (52%) são maioria. Cerca de 50 mil pessoas vivem aglomeradas em ocupações não-planejadas, irregulares, muitas vezes favelas ou casas sem acabamento.

A renda per capita, em 2000, foi de R$ 222,29. Em 2007, 32,6% dos domicílios não tinham esgoto tratado – o que dá à região a pior média municipal. E, segundo reportagem da Folha de S. Paulo de 2 de dezembro de 2007, para cada assassinato cometido no bairro de Moema, outros 130 acontecem no Grajaú. A cada 15 homicídios na cidade, um acontecia  no distrito.

Por outro lado, o Extremo Sul – Grajaú incluído – é onde o número de pessoas engajadas em movimentos sociais é mais expressivo: cerca de 7% da população, ante 5,6% na média paulistana.

É o caso do “Evento pela Paz”, movimento de jovens criado em 2000 com a proposta de ocupar os espaços públicos e diminuir os índices de violência, que buscamos retratar no documentário Grajaú na Construção da Paz.

Apesar de ocorrer apenas uma vez ao ano, desde sua primeira edição o Evento tem transformado vidas como a de Adilson Oliveira – um jovem ator amador que, até a gravação do documentárionunca havia trabalhado com carteira assinada e encontrara no teatro uma forma de expressão. Confira!