Qual é a representatividade que, de fato, se tem no sistema político? O que aconteceria se uma bixa assumisse a Presidência da República? Essa representatividade estaria garantida?

A partir dessa provocação, acontecem nesta sexta-feira, sábado e domingo (16 a 18 de novembro) as primeiras apresentações públicas do primeiro ato de “Bixa Monstra Presidenta” no CEU Navegantes, Cantinho Céu (Grajaú, Extremo Sul de São Paulo).

A peça conta a história de Tel Silvia, a primeira bixa a assumir o principal cargo administrativo do País. A narrativa se dá a partir de uma notícia de jornal em que o país descobre que o Presidente da República tem como amante uma bixa prostituta, o que se torna um escândalo nacional. A partir daí, de forma ácida, cômica e emocionante, o espetáculo faz uma crítica ao atual sistema político e também toca em questões de gênero e sexualidade.

Quebrada em cena

Com forte influência no texto “Gota Dágua” de Chico Buarque e Paulo Pontes, a dramaturgia e direção de Bru Lopes leva ao palco um elenco composto por atrizes e atores do Grajaú: Tatiana Monte, Eliane Weinfurter, Rafael Cristiano, Onika Bibiana Soares, Bru Lopes, Paulo Henrique Sant`Anna, Paulo Araújo, Dan Silva, Carlos Lourenço e Claudio Pavão. A produção conta, ainda, com Alene Alves, Deni Chagas, Caio Marinho, Luciano Antonio Carvalho, Piu Dominó, Janaína Soares e Amanda Andrade. Após a apresentação haverá um bate-papo com a plateia.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ajude-nos no Catarse Doe
Receba notícias no WhatsApp Notícias no WhatsApp
%d blogueiros gostam disto: