Serra leoneses chegaram a tempo para o Mundial

Para a delegação de Serra Leoa, não foi fácil a viagem para o Mundial de futebol de Rua. Os integrantes da equipe precisaram ir até Guiné, país vizinho, para conseguirem o visto. Por isso, chegaram só no dia 5, sendo a última delegação a desembarcar no Brasil. “Foi ruim porque perdemos muitas atividades legais deContinue lendo Serra leoneses chegaram a tempo para o Mundial

Colômbia leva troféu, mas todos vencem Mundial

A colombiana Yusnerys Cervantes, de 14 anos, quase não viajou ao Brasil para participar do Mundial de Futebol de Rua. “Minha mãe não queria deixar eu vir”, diz ela, que agora volta com o título para Barranquilla, sua cidade natal. “Sou campeã”. Yusnerys foi um dos destaques da seleção da Colômbia, que sagrou-se campeã doContinue lendo Colômbia leva troféu, mas todos vencem Mundial

CEUs acolheram as delegações do Mundial

A maior integração das equipes e mais intensa aplicação da metodologia do fútbol callejero se deu nos sete Centros Educacionais Unificados (CEU), onde as delegações dos 20 países participantes do Mundial ficaram hospedadas e conviveram diariamente. Na primeira semana, enquanto os jogos oficiais não começavam, as equipes de funcionários e voluntários do CEUs promoveram aContinue lendo CEUs acolheram as delegações do Mundial

Final do Mundial de Futebol de Rua

Astros nos gramados, estádios suntuosos e patrocínios bilionários compõem o espetáculo esportivo que é a Copa do Mundo da FIFA. A final do campeonato promovido pela entidade máxima do futebol acontece no domingo (13). Enquanto isso, neste sábado (12) São Paulo sedia outra final: a do Mundial de Futebol de Rua. Os jogos válidos pelasContinue lendo Final do Mundial de Futebol de Rua

Os craques do Mundial de Futebol de Rua

Nada de Messi, Benzema ou Cristiano Ronaldo. Sem salários milionários, quem brilha no Mundial de Fútbol Callejero são mais de 300 jovens acostumados a rolar a pelota em ruas e campinhos de terra batida em periferias de 20 países. Sede da última Copa da FIFA, a África do Sul não participou da edição deste ano.Continue lendo Os craques do Mundial de Futebol de Rua

Crimes de maio de 2006 no banco dos réus

Nesta quinta-feira (10 de julho), a partir das 9h30 da manhã, acontecerá o julgamento em plenário de um policial militar acusado de participar do homicídio de três jovens em maio de 2006.  Os chamados “crimes de maio de 2006” resultaram em pelo menos 493 mortos pela PM paulista em represália aos ataques do Primeiro Comando daContinue lendo Crimes de maio de 2006 no banco dos réus

Mundial de Futebol de Rua reúne 300 jovens

Enquanto a Copa do Mundo da FIFA entra na reta final, a cidade de São Paulo recebe outro torneio internacional de futebol. Com mais de 300 jovens de periferias de 20 países, o Mundial de Futebol de Rua pretende divulgar o esporte como elemento que pode ser utilizado para mudar a realidade em regiões pobres.Continue lendo Mundial de Futebol de Rua reúne 300 jovens

Corte de linhas, o drama da mobilidade na periferia

Por Raquel Rolnik, no blog Habitat do Yahoo Notícias Desde o ano passado, as linhas de ônibus da cidade de São Paulo passam por um intenso processo de reestruturação. Muitas tiveram seus itinerários modificados e outras, inclusive, foram excluídas. De acordo com a SPTrans, a meta é reduzir o número de linhas de ônibus em SãoContinue lendo Corte de linhas, o drama da mobilidade na periferia

Movimentos na Copa Rebelde sem “padrão FIFA”

O Comitê Popular da Copa em São Paulo convida movimentos sociais, coletivos, organizações e todas as pessoas abaixo e à esquerda para somar na “IV Copa Rebelde: por um futebol contra os muros, e sem juiz!”. Segundo o Comitê, o torneio vai ter: liberdade de manifestação, futebol de várzea, torcida rebelde, ambulantes, população de rua, movimentos de moradia,Continue lendo Movimentos na Copa Rebelde sem “padrão FIFA”

A presença dos “sem religião” nas periferias

Por Marcos Nicolini* Há um século, não ter religião era uma postura intelectual reservada a um grupo de pensadores seletos. Alguns poucos homens e mulheres se atreviam a tomar distância das religiões, principalmente dos cristianismos. Não que este questionamento sobre os deuses tenha sido inaugurado neste tempo. Antes, na Grécia antiga – 500 a.C. –Continue lendo A presença dos “sem religião” nas periferias