Nas quebradas, a gente faz moda para se identificar

Foto: Felipe Chaves

1DaSul, Deeanto, Chavo Callejero… Vamos falar de moda. Não de desfiles, de tendências nem coleções. Não é intenção e nem temos arcabouço pra isso.

Rappers apontam o que mudou nas quebradas após duas décadas de movimento

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Tem quem diga que o primeiro rap brasileiro foi “Deixa Isso Pra Lá”, gravado em 1964 por Jair Rodrigues. Mas o rap como fora concebido nos Estados Unidos chegou ao Brasil em meados dos anos 80, com um show dos americanos do Public Enemy inspirou uma legião de seguidores no País. Grupos de breakers da periferiaContinue lendo Rappers apontam o que mudou nas quebradas após duas décadas de movimento

“Tem o Emicida, e eu sou o ‘suicida'”, diz Mano Brown

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Piadista e galanteador, o maior nome do rap nacional cumpria uma promessa feita nos bastidores a outros convidados do show de Terra Preta.

De Mano Brown a Rincon Sapiência, gerações do rap se encontram em show ‘zica’ de Terra Preta

(Foto: Thiago Borges / Periferia em Movimento)

Zica, na quebrada, já deixou de ser sinônimo de azar. Pelo contrário. Zica é quem faz acontecer, é destemido, chama a atenção. E a palavra imperou no show!

A arte marginal: um perfil de Mauro Neri

Foto: Aline Rodrigues / Sueli Carneiro

Grafiteiro, artista plástico e agente social conta sua vida, seus contrastes e a importância de sua arte para a sociedade periférica